BOTOX EM DIA 
   7 de outubro de 2021   │     11:41  │  0

Cirurgião Emerson Albuquerque alerta para cuidados extras para prolongar o efeito da toxina botulínica em tempos de pandemia 

 

A pele sofre muito ao longo do tempo com a perda de elasticidade, o sol, queda na produção das fibras de colágeno e elastina. Os principais efeitos destes fatores são o aparecimento das linhas de expressão (rugas) e da flacidez pois, os anos passam e, com eles, surgem algumas mudanças e os sinais de envelhecimento ficam mais aparentes, como bigode chinês, linhas de expressão e sobrancelhas caídas. Marcas de uma vida bem vivida e cheia de experiências, que, apesar de orgulho, por vezes requer mudança no visual para algumas pessoas. E aí, homens e mulheres passam a não se identificar com a aparência que vêm no espelho.

Quando o assunto é harmonização facial, o que logo vem à cabeça são as mudanças perceptíveis na face, como aplicação de toxina botulínica e preenchimentos que eliminam ou suavizam bem as marcas de expressão. Dr. Emerson Albuquerque atua como cirurgião orofacial há anos e trabalha com o procedimento de harmonização facial, com foco no autocuidado e esclareceu dúvidas que muitas pessoas têm em relação ao procedimento que conquistou várias personalidades.

Mas, além desses procedimentos, que são os mais procurados, o cirurgião orofacial Emerson Albuquerque, diretor do IDEA, enumera atitudes complementares que vão garantir um melhor resultado e a durabilidade do mesmo.

Quem tem aquele rosto lisinho com certa idade já imagina à primeira vista que é resultado de botox. Mas há inúmeros cuidados com a pele, como uso de ativos e protetor solar, e até com a alimentação que contribuem para um aspecto mais jovial.

Um dos maiores pontos positivos do botox é que o procedimento não é cirúrgico, que consegue amenizar, de maneira natural, essas rugas e linhas de expressão, desde as mais superficiais até as mais profundas. Ele dura, em média, seis meses, e seu resultado depende de cada paciente. No entanto fatores internos e externos podem interferir em sua durabilidade. Por isso o cirurgião criou um novo protocolo sobre o uso da toxina botulínica e de outras substâncias de preenchimento. Já que, numa resposta natural do sistema imunológico para reagir a algo que é estranho ao corpo, as vacinas têm diminuído o efeito de tais ativos.

O sistema imune, instigado pela vacina, entende como agressoras as enzimas do Botox e outras substâncias que tenham sido aplicadas recentemente e ainda não dissolveram.

Por outro lado, a Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos apontou que os procedimentos estéticos cresceram 64% durante a pandemia. Isso foi relacionado, pela associação, ao advento das reuniões online, que colocam as pessoas de frente consigo mesmas nas telas dos computadores.

Os especialistas dizem que os efeitos colaterais identificados nesses casos não deve impedir que as pessoas que passaram por procedimentos desse tipo sejam vacinadas contra o coronavírus.

A indicação é procurar o médico responsável para avaliar o que se pode fazer para evitar reações adversas diante da necessidade de se vacinar.

 

Sobre o cirurgião 

O alagoano Emerson Albuquerque – que atua aqui e em São Paulo – é Cirurgião pós graduado na França e em NY – USA. Especialista em Harmonização Orofacial e em Fisiologia do Envelhecimento Saudável, usa técnicas da Terapia Ortomolecular e programação Neurolinguística para orientar os pacientes quanto à adequação dos preenchimentos com base nos seus atributos emocionais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *